Dúvidas de Sexo

 
 
Parceiros NJ
 
Especial NippoJovem
Gothic Lolita

Conheça a moda que faz muitas garotas se vestirem como bonecas

Texto: Vanessa Maeji/NJ | Fotos: Érika Hobo/NJ e Matheus Pinheiro/Divulgação


Detalhes no cabelo, sobreposições e saias com volume montam o visual de uma lolita

Laços, saias rodadas, anáguas, acessórios. Não, não estamos falando de uma época distante. Trata-se do Gothic Lolita, moda urbana que tem conquistado cada vem mais seguidoras – e seguidores também. Apesar de ser freqüente, a associação entre o Gothic Lolita com a sensualidade da personagem do escritor russo Vladimir Nabokov e com o gótico da idade medieval é um erro que as lolitas já cansaram de ouvir.

O GothLoli, como também é chamado, na verdade é uma das várias vertentes do estilo Lolita, que surgiu no Japão entre o final da década de 1970 e começo dos anos 1980, em Harajuku, bairro de Tóquio famoso por reunir novidades e figuras um tanto excêntricas. O estilo apareceu resgatando elementos do período vitoriano e do rococó e como resposta ao exagero daquelas décadas, segundo conta a estudante de arte Stephanie Paula Gonçalves, a Cassini . "Na época, tinha o punk, o rock, tudo meio exagerado. Ele apareceu em contraposição a isso", afirma a jovem de 20 anos

As lolitas remetem à cultura do “kawaii” (meigo, em japonês), ao apreço por detalhes e pela harmonia do visual. E não tem ligação com sensualidade, movimento gótico ou estilos musicais, embora a maioria das adeptas tenha conhecido a cultura japonesa e, conseqüentemente, o GothLoli, através de animes, mangás e bandas de j-music.

No Brasil, as primeiras lolitas apareceram há menos de dez anos, com a onda de animês que invadiu o país. O curioso é que a maior parte das adeptas não tem ascendência nipônica. Além disso, também há garotos que se vestem neste estilo, mas a maioria continua sendo do sexo feminino, com idade média entre 14 e 20 anos.

O estilo Lolita

Algumas vertentes do estilo

Existem várias vertentes, mas todas prezam pela silhueta bem valorizada. Para obter esse resultado, elas geralmente vestem saias com anáguas, que dão volume, blusas mais justas e sem decotes. Não podem faltar rendas, babados, meia-calça, sapatos bonecas – sem salto fino, que quebraria o ar infantil que o Lolita procura – e muitos acessórios. Estes últimos são indispensáveis para qualquer produção, conforme enfatizou Carolina Martins, a Youran, que conhece o estilo há aproximadamente seis anos.

Imagine em um calor de 40º vestir tudo isso! Carolina Sakuma, a Rika, concorda. "Não é algo adequado para o Brasil". Mas as meninas bonecas fazem suas adaptações. "Há tecidos mais leves e vestidos de alça mais grossa que podem ser usados", diz Ingrid Marastoni, a Kiyuri. Adotar um apelido, aliás, é bem comum entre as lolitas, mas não é obrigatório.

Encontros de lolitas

As meninas realizam encontros mensais para integrar lolitas de todo país, tudo combinado via internet. Youran, por exemplo, aproveitou sua vinda de Brasília para ir a um encontro em São Paulo. No geral, 20 meninas comparecem a esses eventos, mas o número varia bastante.

Em uma dessas reuniões, realizada em tradicional café no centro de São Paulo, muitas garotas vestidas a caráter chamaram a atenção de quem passasse. Elas dizem ter se acostumado com a reação da família, de amigos, do namorado e de pessoas na rua. "Acham até que é peça de teatro", diz Rika.


Kiyuri, Youran e Sumomo na avenida Paulista


Reunião de Lolitas em São Paulo

E se antes se incomodavam com o que os outros diziam, agora juram não ligar mais. "Não tem que se importar com o que os outros vão achar e se é fora do senso estético deles", declarou Kiyuri. Youran, Rika e Kiyuri falaram à reportagem numa cafeteria em plena avenida Paulista. Na hora das fotos, não faltaram olhares curiosos em direção a elas.

Prepare os bolsos

Para quem quiser seguir o estilo, há várias comunidades no Orkut e sites da internet que auxiliam as bonecas de primeira viagem. Youran tem um pequeno tutorial em seu site, com dicas de maquiagem, roupas e endereços de loja. Há também uma lista com os erros mais comuns cometidos por garotas recém-iniciadas.

Para os bolsos mais desavisados, um alerta: se vestir como Lolita sai caro. É preciso se preparar para gastar boas quantias – um visual completo (roupas, sapato e acessórios) pode sair por até R$ 300. Como ainda existem poucas lojas no Brasil voltadas a essa moda, é preciso importar algumas peças. "Uma saia em promoção não sai por menos de R$ 200, sem contar o preço do frete", diz Youran.

"Quando você começa, tem de ter a consciência que o preço vai ser a menor coisa com que se importar", disse Kiyuri. "Às vezes, mandar fazer sai mais em conta", revela a garota. Cassini dá outra sugestão: procurar as roupas em brechós. "Mas sempre tem que fazer a composição certa. Dizemos que é para ficar 'mais lolitoso'”, conclui a garota.

Veja os erros mais comuns a respeito do estilo
Lolitas são cosplay
Muitos acham que as Lolitas se vestem como cosplay ("costume player", aqueles que se vestem como algum personagem, geralmente de animes e mangas). O Lolita nada mais é que uma moda urbana, sem ligações a ideologias ou tipo de música específico.

É preciso mudar o comportamento também
Este é um ponto de controvérsias. Há meninas que defendem que alterações no comportamento "normal" da pessoa significam que a pessoa não está vestida de Lolita e sim interpretando um papel. Ou seja, ela é um cosplay. Outras, por outro lado, afirmam que se deve, sim, agir de uma forma mais delicada por causa do vestuário. Não há consenso entre as próprias adeptas.

O cantor Mana inventou o estilo
Mana, da extinta banda japonesa Malice Mizer, foi responsável por difundir o estilo, com criação de marcas de roupa que mais tarde se tornariam referências no Lolita. A grife Moi-même-Moitié e suas linhas EGL/EGA acabaram, erroneamente, por se tornarem sinônimo do estilo.

Deve-se seguir à risca o que dizem revistas japonesas
Há algumas revistas do Japão que dão algumas dicas, como o Gothic & Lolita Bible. Mas seguir rigorosamente o que elas veiculam pode se tornar um empecilho. Afinal, é preciso lembrar que as matérias são feitas baseadas em lolitas japonesas, que não precisam enfrentar o clima de um país tropical. "A criatividade é sempre valorizada", diz Sumomo. Youran faz a ressalva "Mas se mantendo dentro do padrão".


Conheça algumas das vertentes do Lolita
Classical Lolita
É mais adulto, sem excesso de renda e babados.

Sweet Lolita
Abusa de tons claros, como rosa e azul bebê, com muitas rendas e babados, que dão um ar infantil.

Punk Lolita
Utiliza sobreposições e acessórios que remetem ao punk.

Gothic Lolita
Um dos sub-estilos que ficou mais conhecido, é parecido com o Sweet Lolita, mas sem excesso de laços. As cores predominantes são o branco e o preto.

Ero Lolita
Usa saias um pouco mais curtas ou decotes um pouco maiores, mas deve-se prestar atenção para não ser vulgar ou exagerado.


Arquivo

De bicicleta pelo Japão

Ayumi Hamasaki inspira o novo visual das garotas japonesas

Dragon Ball Evolution

Cosplay, uma arte a parte

Baladas Japas

Vida de DJ

Jovens Japoneses

Gothic Lolita

Beisebol - Jogos da Amizade entre Brasil e Japão

Confraternização nikkei no esporte

J-music conquista jovens no Brasil

Daniel Uemura faz sucesso em novela teen

Jovem apresentador nikkei é destaque
Cultura pop japonesa
Trabalho voluntário
Ecologia: é preciso agir já
Tunning: trabalho artístico e hobby
Em busca do sucesso
Japonês básico
Animês e mangás
Street Dance
Ultra Seven – 40 anos
Mina e Lisa - Novela na internet
Dança do Ventre
The Checkers
Kung Fu
Mensageiros da Paz
Shodô
Soroban, calculadora japonesa
Oshibana
Ikebana
O Japão sob novos olhares
Harajuku
Taikô
Matsuri Dance
Sobrenomes japoneses
Cerimônia do chá
  © Copyright 2001 - 2013 Portal NippoBrasil - Todos os direitos reservados